quarta-feira, 9 de março de 2011

Não desejo isso, deleto

Há oito anos realizei o cadastro dele. Foi o primeiro que tive. Permitia o contato particular/pessoal com alguns dos amigos e desconhecidos também. Era a atração do momento, mas nem todos estavam acostumados com aquele tipo de comunicação. Demorou um pouco para se criar o hábito de consultar aquela caixa de mensagens. O problema não é esse, digo, um dos problemas. Sabe, percebi nesses oito anos de convivência com essa caixa, que muitas mensagens dão a volta no mundo e depois de alguns meses ou até mesmo anos, lá estão elas de novo, na minha caixa de entrada. As terríveis correntes disseminadoras de vírus e discórdia entre os emissores e receptores. Triste. Como os seres humanos perdem um tempo desses? Enfim, cada um faz com as suas 24hs diárias o que quiser, mas corrente no endereço eletrônico, para mim, é lixo. Desculpem-me os mais sensíveis, mas é a verdade sobre e-mails indesejados.

Um comentário:

Natália disse...

Integro o seu grupo, com certeza!
=)